Categorias
Blog

Por que infestações de formigas são tão comuns?

Pense na seguinte situação: você fez um bolo delicioso e o deixou em cima da mesa, esperando o momento ideal para poder comê-lo. Quando voltou para a cozinha, se deparou com centenas de formiguinhas grudadas na cobertura do bolo, que se tornou incomível.

Todo mundo já passou por uma situação parecida. As formigas são as pragas urbanas mais comuns e estão por toda parte. Na sua busca ininterrupta por comida, porque percorrem os ambientes em busca de seus alimentos favoritos, especialmente aqueles que contém sacarose, elas infestam casas e apartamentos e causam uma grande dor de cabeça.

Apesar de, aparentemente, serem inofensivas, podem transmitir doenças, já que circulam por várias superfícies e espalham vírus, bactérias e microrganismos por onde passam, incluindo nos alimentos que podem ser ingeridos pelos seres humanos.

Categorias
Blog

Quais doenças podem ser transmitidas pelas baratas?

Causadoras de muita fobia e o alimento favorito dos escorpiões, as baratas são uma das pragas mais comuns que aparecem no dia a dia e que podem transmitir diversas doenças.

1 – Hepatite A

O vírus da hepatite A é causador de uma infecção no fígado altamente contagiosa que se espalha por alimentos, água ou pelo contato com uma pessoa infectada. Como as baratas andam por toda a parte, podem transmitir o vírus que se aloja em suas patas e se espalha por onde passam.

Dentre os sintomas da hepatite A estão fadiga, náuseas, dor abdominal, perda de apetite e febre baixa.

2 – Febre Tifoide

A febre tifoide é causada pela bactéria Salmonella enterica typhi transmitida por alimentos ou água contaminados pelo contato com as baratas.

3 – Diarreia

A diarreia pode ser causada pelo contato das baratas com alimentos e água. Uma das complicações mais graves desse quadro é a desidratação

Categorias
Blog

As pragas de cada época do ano

A prevenção e controle das pragas urbanas é muito mais eficiente quando entendemos o comportamento desses animais. Apesar de poderem incomodar durante o ano inteiro, principalmente pelo fato do Brasil não ter estações do ano bem definidas, existem determinadas épocas em que algumas espécies se reproduzem mais rapidamente e apresentam mais chances de infestar sua casa ou estabelecimento.

Por isso, preparamos este guia para explicar quais são os meses de proliferação de cada praga e facilitar o planejamento para o controle, que para ser mais eficiente, deve ser feito durante os períodos em que a praga estiver fora de seu período de maior densidade, como prevenção para futuras infestações e dores de cabeça para você e sua família.

Dezembro, Janeiro, Fevereiro – Insetos (baratas, mosquitos e moscas) e roedores

O verão é um período úmido e, consequentemente, de proliferação de baratas, moscas e mosquitos, entre eles o aedes aegypti, causador da dengue.

Além disso, por causa do alto volume de chuvas e a quantidade cada vez maior de lixos entupindo bueiros, enchentes e alagamentos são mais comuns e as ratazanas que moram nos esgotos saem de suas tocas. Na busca por abrigo, nadam e urinam nas águas das enchentes que, ao entrarem em contato com os humanos, podem transferir a leptospirose.

Março, abril e maio – mosquitos

Depois do período de chuvas do verão, o outono chega com a eclosão dos ovos postos pelos mosquitos em água parada. É muito comum, durante estes meses, haver um grande aumento no número de casos de dengue devido à esse fator.

Portanto é essencial prestar atenção na existência de focos de água parada em casa e no quintal, manter os sacos de lixo sempre bem fechados e vedar bem cisternas e caixas d’água.

Junho, julho e agosto

O pensamento de que as pragas se proliferam somente nos meses mais quentes e úmidos do ano é muito comum e as pessoas acham que podem relaxar no período e deixar a prevenção para depois. Ledo engano!

O inverno é o momento ideal para se concentrar no controle das pragas e eliminar os criadouros porque, graças às condições climáticas, a prevenção nesse período é muito mais simples e os resultados têm mais chances de sucesso.

Apesar do metabolismo das pragas estarem mais lentos por causa do clima e sua reprodução, consequentemente, desacelerada, surge uma grande ameaça entre o final do inverno e início da primavera: os cupins.

Setembro, outubro, novembro – cupins e o despertar do metabolismo das pragas urbanas

O período de revoada dos cupins acontece entre agosto e outubro. Após se acasalarem, os cupins perdem suas asas e se alojam em locais que possuem madeira para formar seu ninho. Se não forem eliminados, os cupins destroem móveis e papéis, por se alimentarem de celulose.

Se você notar um pozinho granulado nos seus móveis ou túneis, que podem indicar a presença de ninhos de cupins subterrâneos, entre em contato imediatamente com a Dteca que estaremos preparados para te ajudar.

Além de se prevenir contra os cupins, a primavera também é o momento de prestar atenção, fazer uma limpa no quintal e inspecionar toda a casa na procura por possíveis ninhos ou então locais que podem se tornar criadouros de pragas como escorpiões, formigas e ratos.

Categorias
Blog

Como agir se você encontrar um escorpião

O escorpião é um artrópode da mesma família das aranhas. É conhecido por sua cauda, que termina em um ferrão provido de veneno. Se, por algum motivo, você se deparar com um, deve saber como agir. Neste artigo explicaremos como.

Identifique se o escorpião é venenoso ou não

Das 1,4 mil espécies de escorpiões existentes no mundo, apenas algumas produzem um veneno perigoso para os seres humanos. Claro que, em qualquer caso, a picada é dolorosa e provoca ardência, mas isso nem sempre é fatal.

A observação do escorpião é fundamental para determinar se é venenoso ou não. As pinças são a chave: os espécimes que injetam essa substância prejudicial têm pinças finas e compridas. Aquelas que não são consideradas perigosas têm grampos largos e curtos.

Onde os escorpiões vivem

É mais comum encontrá-lo em áreas urbanas do que no campo; já que neste último ele sabe bem onde se esconder ou como se camuflar.

Geralmente aparece em lugares escuros e úmidos, como armários, gavetas, dentro de sapatos ou entre panelas. Preferem lugares tranquilos e arejados; por isso, devemos ter cuidado também se deixarmos roupas no chão por vários dias.

Nas casas e em apartamentos, eles podem entrar pela pia ou pelos canos do banheiro; portanto, recomenda-se cobri-los corretamente. Eles também podem entrar sob portas ou através de janelas abertas. Vedar essas passagens é uma boa maneira de mantê-los fora de nossas casas.

Como agir se encontrarmos um escorpião

No caso de avistarmos o animal, devemos procurar maneiras de prendê-lo e levá-lo para um centro especializado, como o de zoonoses ou laboratórios de doenças infecciosas. Identificar qual é a espécie pode nos ajudar no caso de ele ter mordido alguém ou mesmo impedi-lo de fazer isso no futuro.

Uma boa maneira de capturá-lo é com um frasco grande de vidro: cubra-o com cuidado e use pinças para manipulá-lo. Nunca o pegue com as mãos.

Você pode usar um papelão ou algum material grosso para colocá-lo no recipiente. Cubra a garrafa e faça um buraco para que o animal possa respirar.

Se você não tiver coragem para executar essa técnica, pode tirar uma foto ou várias de diferentes ângulos. Leve-as ao centro especializado, onde eles informarão se é uma espécie venenosa. Faça o seu melhor para não matá-lo, especialmente se ele tiver mordido alguém. A única maneira de saber se ele é perigoso ou não é através do conhecimento de um profissional.

fonte: My Animals

Categorias
Blog

A revoada dos cupins na primavera e no verão

A revoada dos cupins ocorre na primavera e no verão. São nestas estações do ano que os cupins se acasalam. Nas épocas úmidas milhares de reprodutores se preparam para a revoada, nestes períodos que eles geram novas colônias – que podem estar em sua residência ou empresa. 

As revoadas são formadas pelos machos e fêmeas reprodutoras. Eles deixam seus respectivos ninhos em busca de um companheiro para iniciar uma nova colônia. 

Sob ação de hormônios sociais específicos dos cupins, as formas aladas são enviadas a compartimentos subterrâneos. Após a entrada o cupinzeiro é fechado por centenas de cupins operários, provocando uma compressão dentro das câmaras de espera. 

Em um determinado momento os cupins que estão trancados dentro do cupinzal começam uma intensa vibração com as asas, provocando um aumento da temperatura interna do cupinzal. Neste momento os cupins  operários, abrem a saída e milhares de casais saem em revoada numa gigantesca e efêmera nuvem de insetos. 

Chamados popularmente de cupins, esses insetos da ordem Isóptera, são conhecidos como aleluias, siriri ou sarará em algumas regiões do Brasil. Os isópteros são insetos sociais como as abelhas e formigas. 

Atualmente, existem mais de duas mil espécies de cupins catalogados em todo o planeta. O traço comum entre as várias espécies é que todas se alimentam de estruturas ricas em celulose encontradas na madeira, papel, telas, tecidos, e gesso. 

As madeiras estão suscetíveis ao ataque de várias espécies de cupins. Quando o ataque é realizado por cupins de madeira seca, o primeiro sinal é aquele pozinho de minúsculos em forma de grãos duros que aparecem no chão próximo aos móveis.

Empresas especializadas em descupinização podem tratar o solo da obra com uma substância que mata ou repele os cupins. Esse tratamento geralmente oferece proteção contra cupins por um período de pelo menos cinco anos. 

Controle de Pragas

Para que o controle de pragas tenha êxito a primeira coisa a se fazer é identificar qual seu tipo específico e em seguida adotar uma estratégia de controle correta para sua residência, empresa ou indústria fique livre da praga em questão. É de suma importância o monitoramento e a prevenção para que a praga não retorne.

Os ambientes urbanos têm uma vasta rede de esgoto e uma enorme quantidade de lixo, esses dois fatores quando não são administrados de forma correta criam um ambiente ideal para as tão indesejadas pragas. 

Elas comem de tudo e o lixo que produzimos é uma excelente fonte de alimento, assim como ambientes caseiros, onde eles encontram proteínas, carboidratos, gorduras e água, ou seja, alimentos necessários para a sua sobrevivência.

Por isso a melhor forma de combatê-los é, sem dúvida, a prevenção e muitos dos problema poderiam ser evitados com a ajuda da população. Muitas das campanhas governamentais como as relacionadas a dengue, por exemplo, com a divulgação e engajamento da população, fizeram com que caísse drasticamente o número de casos da doença, mas não se pode baixar a guarda. 

fonte: Portal Terra

foto: Acervo Paticular Dino veiculada no Portal Terra

Categorias
Blog

Limpeza de caixa d’água deve ser feita a cada 6 meses

A água é um recurso natural essencial no dia a dia de todos. Nas residências, ela é utilizada para cozinhar, lavar a louça, higiene pessoal, entre outras atividades. No entanto, grande parte da população esquece da caixa d’água, que além de necessitar de limpeza periódica para garantir a qualidade da água, muitas vezes, por ter aberturas, são convidativas para mosquitos.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registrou um aumento de 488% nos casos de dengue em 2019 quando comparado com 2018. Já neste ano, houve um registro de mais de 525 mil casos prováveis de dengue e 181 mortes em decorrência da doença só nas 14 primeiras semanas. “Sabemos que as caixas d’águas, quando não cuidadas, são um dos principais focos do mosquito da dengue, por conter água parada. Mantê-la limpa e fechada é muito importante para que não ocorra a proliferação do mosquito”, orienta.

O recomendado é que a limpeza seja realizada por profissionais especializados, mas pode ser executada de forma mais simples pelos moradores, dependendo das condições da caixa. Confira cinco passos básicos para a higienização:

  • O processo de higienização começa dois dias antes, com o fechamento do registro, para que os moradores possam consumir a água que está na caixa, deixando apenas uma pequena quantidade para iniciar a limpeza.
  • Para retirar o resto de água e o possível lodo existente, pode-se utilizar um balde no lugar da bomba de sucção utilizada pelos profissionais. É importante a utilização de luvas para que não tenha contato direto com as substâncias.
  • Depois, passe um pano com água sanitária ou cloro no interior da caixa para tirar as impurezas.
  • Quando secar, abra os registros para encher a caixa novamente e coloque um litro de água sanitária para cada mil litros de água.
  • Espere duas horas após o processo de limpeza. Feito isso, abra as torneiras e chuveiros, cerca de um minuto, para tirar a água que está contaminada nas tubulações, e assim receber a água limpa.

fonte: Pragas&Eventos

Categorias
Blog

Polícia apreende pesticida vencido e com rótulo adulterado em Maringá

Polícia apreende pesticida vencido e com rótulo adulterado em Maringá

Investigadores da Polícia Civil de Maringá apreenderam na uma grande quantidade de pesticida usado para combater principalmente escorpiões. Os produtos estavam com a data de validade vencida desde o ano passado e com rótulos adulterados. A apreensão ocorreu em uma distribuidora localizada no Maringá Velho.

Segundo a polícia, os produtos eram reembalados com uma nova data de vencimento, o que se enquadra em crime contra a relação de consumo. O responsável pelo estabelecimento será intimado a prestar esclarecimentos.

Os produtos, segundo a polícia, eram embalados novamente porém com uma nova data de vencimento. A denúncia foi feita pela multinacional responsável pela distribuição do produto.

“No local, existem vários produtos, mas esse estava com essa situação e por causa disso, foi apreendido e será usado como prova no processo. Trata-se de um crime de fraude contra a relação de consumo – pelo fato da empresa vender produto com data de validade vencida”

explicou o delegado Luiz Henrique Vicentini.

A funcionária que estava na revenda foi conduzida para a delegacia. Ela foi ouvida e liberada. Já o responsável pelo estabelecimento, não está na cidade, mas será intimado para prestar esclarecimentos à polícia. A gráfica que fazia os rótulos adulterados também será objeto de investigação, segundo o delegado.

Além de colocar em risco as pessoas, o produto falsificado não era eficaz. Situação similar gera suspeita na venda indevida de inseticidas pela internet, pois não há controle nenhum se estes produtos nas plataformas de venda e muito menos controle de originalidade ou procedência.

fonte: Pragas&Eventos

Categorias
Blog

Informações sobre a desinfecção e limpeza de superfícies e objetos

Uma das formas de contágio do coronavírus é o contato com superfícies e objetos contaminados (como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos, teclados de computador etc) e também com pessoas doentes, através do toque de mão, gotículas de saliva, espirro, tosse. A chefe do Setor de Saneantes do Departamento de Microbiologia do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz), Dra. Bruna Sabagh, orienta sobre a limpeza e desinfecção correta dos ambientes, utensílios e objetos.

Cientistas dos Estados Unidos, de universidades e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), desenvolveram o estudo Aerosol and surface stability of HCoV-19 (SARS-CoV-2) compared to SARS-CoV-1, identificando a sobrevida do vírus em várias superfícies: aço inoxidável – 3 dias; plástico – 3 dias; papelão – 1 dia; cobre – 4 horas. Devido a isso, a desinfecção e limpeza devem abranger todos os possíveis locais que podem estar com o coronavírus presente, incluindo o chão, maçanetas, corrimão, interruptores de luz, superfícies de móveis, chaves, embalagens de produtos etc.

No caso de utensílios e objetos, a limpeza com água e sabão é considerada eficiente para a descontaminação do coronavírus. Quando essa limpeza não é possível, é necessário então o uso de desinfetantes. Entre esses desinfetantes que podem ser utilizados estão o álcool etílico nas formas líquido e em gel a 70%, além de hipoclorito de sódio, quaternários de amônio e compostos fenólicos.

Na desinfecção de superfícies, conforme enfatizado por ela, o primeiro passo é utilizar apenas produtos desinfetantes regularizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Não é recomendável o uso de produções caseiras ou vendidas em mercados informais, pois podem acarretar riscos à saúde (queimaduras, intoxicação, irritações) e não serem eficazes.

Além disso, para alcançar o resultado esperado, é importante seguir as informações contidas nos rótulos dos produtos, que especificam as substâncias e fornecem as instruções de uso e armazenamento – lembrando que os desinfetantes devem ficar fora do alcance de crianças e animais de estimação – e os cuidados e equipamentos necessários para sua aplicação.

Além da desinfecção e limpeza das superfícies e objetos, a Drª Bruna ressalta a orientação do Ministério da Saúde (MS) com os cuidados que se deve ter ao chegar da rua:

“A recomendação é que as pessoas não saiam de casa, fiquem em afastamento social. Mas em caso de extrema necessidade, a pessoa deve, ao chegar da rua, tirar os calçados e limpá-los em um local separado em casa, lavar as mãos com água e sabão, trocar a roupa e lavá-la imediatamente, e em seguida tomar banho”, orientou, e completou: “também é recomendável que sejam higienizados os objetos que você levou para rua, como carteira, chaves e celular, bem como os que trouxeram dela, como sacolas de mercado e a embalagem dos produtos comprados”.

fonte: Portal FioCruz

Categorias
Blog

Controle de pragas é essencial ao combate do coronavírus

Controle de pragas é essencial ao combate do coronavírus

Com as novas medidas tomadas em todos os setores da sociedade para controlar a expansão do coronavírus (COVID-19), estamos monitorando a situação e tomando todas as medidas para que possamos continuar trabalhando dentro da normalidade e segurança.

A FEPRAG – Federação Brasileira das Associações de Controladores de Vetores e Pragas Sinantrópicas, protocolou junto ao Ministério da Saúde o ofício para reconhecer a atividade como essencial à manutenção da saúde privada e pública, permitindo a atuação das empresas especializadas e licenciadas durante o período de quarentena obrigatória. O ofício esclarece às Vigilâncias Sanitárias Estaduais e Municipais da necessidade essencial da atividade e, aos responsáveis pelo licenciamento das empresas especializadas, que divulguem à população a lista de Empresas licenciadas conforme RDC 52/2009 da ANVISA, atendendo a Lei de Transparência e protegendo a saúde pública da ação de oportunistas que, sem responsabilidade técnica, colocam em risco a saúde da população e o manejo dos produtos.

A manutenção dos Serviços durante este período é necessária visto os riscos que representam as baratas, formigas, moscas e ratos, que transportam vírus, fungos e bactérias. As pragas se tornam vetores de doenças, que não estão de quarentena, e permanecem ativos.

 

fonte: Pragas e Eventos

Categorias
Blog

Por que as formigas precisam ser controladas?

Por que as formigas precisam ser controladas?

Você se lembra da última vez que matou uma barata? Se ela não foi imediatamente recolhida e jogada no lixo, quem poderia ter feito esse serviço por você? Exatamente elas: as formigas.

Se uma barata morta deixada no chão da cozinha desaparece de um dia para o outro, ela provavelmente foi levada por formigas. Apesar de serem consideradas inofensivas por muita gente, a rota das formigas em busca de alimento inclui os destinos mais excêntricos, como fezes, feridas, escarros, lixeiras e animais mortos.

Ao passar por estes lugares, elas carregam consigo os mais diferentes tipos de micro-organismos nocivos, principalmente bactérias, fungos e vírus. Por isso, formigas são consideradas um vetor de quase todas as doenças infecciosas.

O cuidado com estes insetos durante a primavera deve ser dobrado, já que algumas espécies chegam ao auge da reprodução neste período. Nos dias mais quentes, as infestações de formigas são maiores. Por isso muita gente tem a impressão de que suas casas são invadidas por formigas nessa época do ano.

Prevenção contra Formigas

Para evitar o risco de intoxicação alimentar, vômito, diarreia e outras doenças é preciso ter atenção no manejo com os alimentos. Formigas presentes em biscoitos e bolos, por exemplo, podem ter tido contato com saliva ou ferida infectadas, o que pode causar tuberculose e lepra. Consumir alimentos que tiveram contato com formigas, portanto, é uma atitude arriscada. A Dteca recomenda que, se a infestação for séria,  a melhor opção é entrar entrar em contato conosco que nós vamos até sua residência ou estabelecimento e fazemos a desinsetização.

fonte: Pragas e Eventos